2007-01-29

Primeiras impressões da Suécia

Consegui um lugar pra morar. Não é exatamente o que eu estava imaginando, mas... Acontece que é extremamente difícil conseguir um apartamento para alugar aqui na Suécia, a oferta não é muito grande. Especialmente aqui em Ronneby, que é uma cidade universitária por assim dizer. E o que é pior, como agora é começo de semestre então fica mais difícil ainda. O que eu consegui, por enquanto, foi um quarto em uma casa que pertence a um iraniano. Ele costumava morar nesta casa, mas acabou se mudando. Agora ele aluga os quartos da casa para estudantes. A vantagem é que é bem barato para os padrões suecos (apenas 1.800 coroas, equivalente a 600 reais), é mobiliada, e eu tenho que dar o aviso prévio apenas um mês antes de sair (o normal são 3 meses). Meu quarto tem 10m² e estou morando nesta casa com dois estudantes da Nigéria. Me mudei para lá no sábado, e pretendo ficar nesta casa por um tempo, assim posso procurar um apartamento melhor com mais calma.

Mas voltando um pouco, as coisas aqui na Suécia são muito diferentes do Brasil. Existem as coisas normais de primeiro mundo, como não ter lixo nas ruas, os carros pararem assim que tu coloca o pé na faixa de segurança (e eles ficam brabos porque eu estou acostumado a esperar os carros passarem para mim atravessar a rua, e eles acabam parando e ficamos ambos parados um esperando o outro), e praticamente não haver crime. Até agora não vi uma única casa que tenha grades ou algo do tipo. A honestidade é algo incrível, para ganhar um cartão de acesso ao prédio da empresa eu apenas cheguei no balcão e pedi por um, eles apenas perguntaram meu nome e onde eu trabalhava, não pediram documentos nem nada, e me deram o cartão. Esse tipo de coisa é impensável no Brasil.

Eu me espantei com o fato de o frio não ser tão grande assim, se tu usa um casaco apropriado. Já andei pela rua quando estava -7ºC e não passei frio. Todos os lugares fechados são aquecidos, o único problema é que é impossível abrir uma janela (pois obviamente escapa o calor), então pra mim fica aquela sensação meio que caustrofóbica. A neve é legal, mas o que mata mesmo é o gelo que fica nas calçadas e ruas. Dependendo do dia e da hora é impossível andar pela rua, é puro gelo e tu começa a escorregar. Existem máquinas que ficam passando atirando pedrinhas (tipo cascalho) para permitir que os carros andem e as pessoas caminhem.

Aqui ninguém usa calçado dentro de casa. Por causa da neve e de toda a gosma que fica nas ruas, sempre se tira o calçado quando se entra em casa e todo mundo fica só de meias. Aqui na empresa também é assim. Apenas no comércio ou em outros lugares públicos se pode entrar de calçado.

Agora, a língua é uma coisa meio que impenetrável. Embora todo o sueco fale inglês (não achei até agora nenhuma pessoa que não falasse), eles só falam com estrangeiros. Entre eles só falam sueco, obviamente. Placas e outras coisas escritas são em sueco. Imagine como é ir num supermercado e comprar um produto que não tenha a foto na capa. Tu te sente totalmente perdido e dependente. Estou tentando memorizar algumas palavras-chave aqui para poder me virar melhor.

Voltando ao assunto das coisas serem diferentes, por exemplo aqui todos os fogões são elétricos. O gás não é considerado seguro, o que faz sentido se tu pensar que não se abre as janelas das casas durante metade do ano, por exemplo. Sabonete em barra não existe. Só liquido. No mercado, se tu quiser sacolas para levar as compras tem que pagar por elas, para evitar o desperdício. E é tu que coloca as compras na sacola. Tu paga a conta e o troco sai duma máquina, já contado. O lixo é todo separado, orgânico e inorgânico. E a coleta não é diária, acho que é semanal. Deve ser para desestimular a geração de muito lixo.

O álcool aqui é caríssimo. Fui numa boate em Karlskrona (cidade ao lado de Ronneby) e o pessoal não fica bebendo, no máximo um ou dois drinques. Ninguém tem dinheiro para isso. O que a maioria das pessoas fazem é se reunir na casa de alguém antes e encher a cara antes de ir para a boate. Mesmo assim é muito caro, uma garrafa de vodka custa o equivalente a uns 80-100 reais. Não existe isso que nós fazemos, ficar bebendo a noite inteira sem parar. Achei incrível que na boate onde fui existe uma sala onde todo mundo larga o seu casaco, não existe identificação nenhuma. Depois todo mundo pega o seu, eu sendo brasileiro já estava com medo de no fim da festa o meu casaco não estar mais lá, mas estando na Suécia ninguém pega o casaco do outro. As boates todas também acabam às 3 da manhã, acho que deve ser porque ninguém tem dinheiro pra ficar bebendo assim não dá pra festa ir até tarde.

Para ter um apartamento bom aqui tem que ser muito rico. Para quem conhecia o meu antigo apartamento em Santa Maria, eu não vi ainda nenhum apartamento de dois quartos. Tá certo que aqui na cidade a maioria é estudante, mas mesmo assim parece que para conseguir alugar um apartamento legalzinho tem que ficar meses na fila.

Não consegui tirar muitas fotos ainda, porque estava numa correria para achar um lugar para morar. Como eu ainda não consegui comprar um computador para mim ainda vai demorar um pouco para mim conseguir disponibilizá-las na Internet. Quero ver se compro um computador ainda nesta semana, pois senão não tenho nada para fazer em casa. Não entendo nada que passa na televisão... :-)

Por enquanto era isso. Assim que eu puder mando mais notícias.