2007-02-05

Systembolaget

Neste último sábado, acordei às 9h. Como não tinha nada pra fazer em casa (não comprei um computador ainda) resolvi dar uma volta. Peguei a máquina fotográfica e o tripé e andei pela cidade tirando fotos. Fiquei vagando até umas 16h, eu acho.

(As fotos ainda vão demorar um pouco, porque como eu disse ainda não tenho computador. E o trabalho aqui anda puxado, então acho que provavelmente vou ter que vir num fim de semana na Spidexa pra fazer isso.)

Mas como eu tinha uma festa pra ir às 20h na casa da Andrea, uma amiga sueca que o Andrigo me apresentou, tive que dar uma passada no Systembolaget. Na Suécia não há bebidas alcóolicas (qualquer coisa com mais de 3,5% de álcool) para vender em mercados — ou em qualquer outro lugar — a não ser em lojas especiais do governo, a tal da Systembolaget.

Entrei lá e tinha milhões de tipos e marcas de cerveja. Eu não conhecia nenhuma. Resolvi então comprar 6 latas de cerveja (as latas lá tem 500ml), uma de cada marca. Enquanto eu estava escolhendo que cervejas eu ia levar, tomei um susto: vi umas garrafas de Brahma. Sim, a Brahma. Com a bandeirinha brasileira e tudo. Não me agüentei e bati uma foto, pra mostrar pro pessoal do Brasil. E continuei escolhendo. Até que depois de um tempo, chegaram perto de mim um homem e uma mulher, e a mulher disse alguma coisa em sueco incompreensível pra mim. Vendo minha cara de tacho, o homem disse:
― Do you speak English?
― Yes.
― You are not allowed to take pictures in here.
― Oh, I'm sorry. I didn't know that.
― That's OK. But you have to delete your picture.
― Look, I just took a picture of some Brazilian beer, you see? To show to my Brazilian friends.
― Please just delete the picture.
― OK. Done. I'm really sorry.
― Have a nice day.

É, a foto da Brahma vai ter que ficar pra outra vez.

Atualizado em 11/fev: publiquei uma foto do Systembolaget no álbum.