2007-10-23

Estocolmo

Como já tinha antecipado num post anterior, fui a Estocolmo no fim de semana passado. Peguei um vôo na sexta-feira, dia 19, saindo de Ronneby. (Sim, Ronneby tem aeroporto.) Fiz o check-in numa máquina da Scandinavian Airlines — não há balcão de check-in, como tudo o mais na Suécia o check-in é self-service — e embarquei rumo à Estocolmo.

Saí às 19h30 e cheguei aí por 20h30 no aeroporto de Arlanda. Esse aeroporto é bem afastado da cidade, então tive que comprar uma passagem pro Flygbuss que é o ônibus que leva do aeroporto para a cidade. Depois duns 40 minutos de ônibus cheguei na estação central de Estocolmo. Lá estavam me esperando o Akira, um amigo meu do Brasil que estava lá visitando uns parentes (na verdade, parentes da namorada) e o Jasper, o parente (ou marido da parente). O Jasper é um sueco que fala fluentemente o português devido aos vários anos de casamento e das várias viagens que ele fez ao Brasil.

Do Stockholms centralstation fomos direto para um pub bem legal. Como sou horrível para lembrar nomes, esqueci o nome do dito cujo. Mas enfim. Que diferença de Ronneby! Além de um monte de tipos de cerveja diferente para experimentar, agora sei onde estão as mulheres da Suécia. Cerveja, loiras, e banda tocando ao vivo: pra que mais? O pub também tinha uma pista de dança, então ficamos por lá dançando e assistindo ao show. Pena que, como tudo por aqui, o troço fechou cedo (por volta de 2h, se me lembro bem). Pois bem, depois da festa fomos à casa do Jasper, onde eu ficaria no fim de semana.

No sábado saímos eu, o Akira, e o Jasper para andar pela cidade. Meu Deus do céu! Já tinham me dito que Estocolmo era uma das cidades mais bonitas da Europa, mas eu não imaginava que fosse tanto. A gente não sabe nem pra que lado olhar: castelos, torres, igrejas, monumentos! Nunca tinha visto nada igual na minha vida! Óbvio que tirei milhões de fotos, mas ainda não tive tempo de colocar no meu álbum porque tenho que organizar tudo. Provavelmente vou fazer isso no fim de semana.

Estocolmo é na verdade composta de um conjunto de ilhas, então por todo lugar há água, e todo o tipo de barcos e navios. Saímos a caminhar por tudo, o Jasper guiando a gente pelos lugares legais. Uma das partes que mais gostei foi a cidade velha, ou gamla stan. São construções velhas, residenciais e comerciais, algumas com mais de 500 anos de idade. Inclusive entrei num restaurante que ficava no subsolo e há 700 anos era uma prisão. Sensacional! Lá as ruas são estreitas e a gente se sente como estivesse na idade média. Estão lá a igreja de São Nicolau (que não se sabe ao certo quando foi construída mas se sabe que foi antes de 1279), o museu do Nobel (onde os prêmios são entregues todo ano), o palácio real, entre outras coisas.

Depois de caminhar o dia inteiro voltamos pra casa, e depois eu e o Akira fomos ao centro de novo para nos encontrar com o Andrigo e o Niklas. De lá fomos à cidade velha de novo. Lá existem milhares de pubs de todos os tipos, fomos num pub irlandês onde tinha um show de blues. Esse pub era no estilo do restaurante que falei antes, parte dele era no subsolo e provavelmente o lugar era uma prisão ou algo assim séculos atrás. O lugar estava lotado, tivemos que ficar um tempo de pé, mas quando um pessoal saiu para fumar no lado de fora (é proibido fumar dentro de lugares fechados na Suécia) nós roubamos os lugares deles e ficamos bem perto da banda. E que banda! Eu não sou particularmente um grande fã de blues, mas a banda tocava muito. Filmamos parte do show, para vocês poderem conferir eu coloquei no YouTube:



Eu sempre fui apaixonado por pubs. Imagina então estar num lugar desses, de centenas de anos, tomando uma cerveja irlandesa e assistindo a um show de blues. Além disso conversamos com um monte de gente, o que me espantou já que os suecos são meio fechados. (Por isso eu gosto de pubs, é fácil conhecer gente e puxar papo.) Pra variar achamos uma brasileira (pra variar!) que estuda em Estocolmo e ficamos um tempão conversando com ela e a amiga dela, uma alemã. Que confirmou que meu sobrenome, “Schenkel”, significa mesmo “coxa” em alemão (como eu já tinha descoberto na minha viagem pra Alemanha).

Quando o pub fechou procuramos em vão outro lugar pra ir. Infelizmente tivemos que ir pra casa mesmo, às 3 da manhã. Que saco!

No outro dia saímos nós quatro de novo dar mais umas voltas pela cidade. Andamos o dia inteiro, visitamos outros lugares e tiramos mais fotos. Mas é muita coisa, acho que é preciso uma semana pelo menos pra poder ver tudo. De noite eu e o Andrigo fomos ao aeroporto pra pegar nosso vôo de volta a Ronneby, que seria às 20h30 mas atrasou e foi sair só às 22h30 (não é só no Brasil que acontece).

E aqui estou, de volta à agitação de Ronneby. Pra terem uma idéia, a maioria das pessoas com qual conversei em Estocolmo nunca ouviu falar em Ronneby. As que conheciam me davam os pêsames. :D Estou no lugar errado, definitivamente.