2008-03-26

Ignorância sem limites

Ainda falando de futebol, achei isso no blog do Juca Kfouri:
Ignorância sem limites

Por GUSTAVO VILLANI, de Madri

Pato, Luis Fabiano e Lucio devem adorar dizer que jogam no time pentacampeão, mas sequer sabem o nome de um jogador – nem Pelé e Garrincha? - do primeiro título mundial.

É até compreensível, mas não é aceitável.

A história do Brasil é recente, e por isso é pouco estudada e lembrada pelos brasileiros.

São pouco mais de 500 anos de descobrimento seguido por colonização, império e sobra um mísero século para nossas universidades mais tradicionais.

Se levarmos em conta que ainda hoje poucos têm acesso aos livros, como cobrar conhecimento dessa gente?

Mas não deixa de ser vergonhoso ver os jogadores desconhecerem os campeões de 1958, afinal, é um assunto diretamente ligado a eles, jogadores de futebol e da Seleção Brasileira.

"Nasci em 1980", disse Luis Fabiano, como se a história do futebol tivesse começado apenas a partir do surgimento dele.

Quanta ignorância!

Eles, teoricamente, só estão em Londres para tal amistoso porque há 50 anos houve quem ganhasse o Mundial.

O Brasil só é pentacampeão porque ganhou um título de cada vez, a começar pelo primeiro.

Se o passado pobre, de dinheiro ou de espírito, não os favoreceu, por que não se interessar a partir de agora, já consagrados?

Qual a função essencial de um assessor?

A CBF não deveria orientar essa gente?

Nada.

O que vale é o dinheiro, cada um com a sua parte e ponto final.

Num país de história recente, é compreensível a falta de culto ao passado.

Abominável é quem tem recurso, dever de construir a história, simplesmente ignorá-la.

Putz, não saber o nome de um jogador sequer da Copa de 58? É dose...